Seguidores

domingo, 1 de fevereiro de 2015

Origem da raça humana pelos Anunnakis Parte 1


Em Fevereiro de 2000, chegava ao fim a "Missão Near" (sonda Near)da NASA, chefiada pelo Dr. Cheng, confirmando esta gigantesca trombada celeste no início do nosso sistema solar (catastrofismo).
2.1.Nibiru
Nibiru é o nome de um hipotético planeta proposto por Zecharia Sitchin, baseando-se na idéia de que as civilizações antigas tinham feito contatos com extraterrestres, uma hipótese considerada inverossímil pela maioria dos cientistas e historiadores. Segundo Zecharia Sitchin, este povo conhecia todos os planetas do sistema solar, inclusive Nibiru, um planeta lento que inicialmente transladava a cada 3.600 anos (período de tempo esse reduzido para 3.450 anos por dinâmicas gravitacionais do Sistema Solar) Este Planeta passa junto ao cinturão de Asteóides.
Nibirutem um período orbital de 3600 anos se comparado com a Terra e orbita dois sóis.
    1. Nibiru e a lenda dos Sumérios
Os sumérios descreveram-no como sendo quatro vezes maior do que a Terra, de cor avermelhada, e responsável por grandes catástrofes, no nosso planeta, durante suas passagens através de nosso sistema solar. Eles explicam que a aproximação desse planeta foi a causa do dilúvio citado na Bíblia, devido a um deslocamento polar na Terra. E a outra historia sobre este nobre visitante.
Diz a lenda que há seis mil anos, os Sumérios conheceram um planeta chamado Nibiru. Era o planeta de origem de um povo descrito pelos antigos como “raça de deuses”. Os nativos de Nibiruvisitaram a Terra no passado influenciando decisivamente a cultura humana. Artefatos e tabuletas cuneiformes de argila e pedra encontradas no Iraque referem-se claramente a um planeta de onde vieram viajantes cósmicos.
Os viajantes de Nibiru que chegaram à Terra era chamados de  Anunnaki e foram considerados deuses. A tradição conta que os Anunnaki possuíam servos que “eram seres andróides”, não eram seres vivos, mas agiam como se fossem. A herança destes remotos visitantes aparece na avançada tecnologia dos sumérios e de outros povos ao redor do mundo. Muitas relíquias não são acessíveis ao público que, assim, desconhece essa face da mitologia mesopotâmica. 
    1. Sumério e o conhecimento Cientifico
Os estudiosos do legado sumério, têm se questionado como seria possível que uma civilização tão antiga tivesse informações tão precisas sobre astronomia, numa época onde supostamente não havia equipamentos tecnológicos? A resposta está no trabalho do Srº Zecharia Sitchin, e seu esforço de traduzi os tabletes de argila da suméria, em desvenda o conhecimento sumério, sobre o sistema solar, só poderia ser obtido por meio de uma fonte externa. Que fosse capaz de viajar pelo espaço e observar esses eventos.
As placas sumérias têm informações precisas sobre os planetas do sistema solar. O mais impressionante são os dados sobre Plutão (planeta que só foi descoberto em 1930). Eles sabiam o tamanho de Plutão, sua composição química e orgânica e afirmavam que Plutão era na verdade um satélite de Saturno que se "desprendeu" e ganhou uma nova órbita. Eles chamavam a Lua de pote de chumbo e diziam que seu núcleo era uma 'cabaça' de ferro. Durante o programa Apolo, a NASA confirmou esses dados. Esse conhecimento seria possível há 3.000 anos?
Em 1983, o Satélite Astronômico Infravermelho (IRAS) fotografou um grande objeto na imensidão do espaço. O astro seria tão grande quanto Júpiter e provavelmente poderia fazer parte do nosso Sistema Solar. Em 1987, a Agência Espacial Norte-Americana (NASA) anunciou oficialmente que admitia a provável existência do chamado Planeta X. Em uma conferência realizada no Centro de Pesquisas Ames, na Califórnia, o pesquisador JohnAndersondeclarou:
Um décimo segundo planeta pode estar orbitando o Sol. Sua localização seria três vezes a distância entre o Sol e Plutão”.
A questão é delicadíssima. De um lado temos escritos de milhares de anos sobre a formação da Terra, com informações precisas e riquezas de detalhes, traduzidos pelo maior especialista em civilização suméria e de outro lado temos a discreta confirmação dessas informações pela maior agência espacial do mundo.
A questão da origem do planeta Terra e da humanidade é, de fato, extremamente delicada, porque ameaça completamente o mainstream1social moderno (pelo menos nas sociedades ocidentais). A humanidade é guiada pela ciência ou pela religião. Pelo empirismo2 ou pela fé. Entretanto, tanto um como o outro se tornaram instrumentos de poder para grupos poderosos interessados em dominar as grandes massas populares. Sistematicamente, os dois extremos têm ocultado ou distorcido, ao longo da historia, informações sobre a origem do homem no planeta.
    1. A evolução humana segundo Charles Darwin
No campo científico, homens como Charles Darwininduziram a humanidade à acreditar que o homem evoluiu progressivamente e naturalmente de um tipo de antropóide. Essas afirmações foram baseadas nas observações e pressuposições de Darwin, que em suas viagens de estudos pelo mundo, desenvolveu a idéia de que um processo de seleção natural era responsável pelas mutações das diversas espécies de animais, para se adaptarem as mudanças geofísicas sofridas pela Terra no passado. Até aí tudo coerente, porém Darwin, precipitadamente concluiu que os seres poderiam sofrer qualquer transformaçãopara se adaptarem. Para ele um lêmur voador poderia se transformar em um morcego, sobre uma determinada circunstância:
Charles Darwin- "Não vejo qualquer dificuldade em acreditar na possibilidade de que a seleção natural possa desenvolver a membrana no lêmur voador, até transformá-la num verdadeiro membro alado, à semelhança do que deve ter ocorrido com o morcego".
Seguindo essa linha de pensamento ele concluiu que um símio poderia ter perdido os pêlos, a cauda, ter erguido a coluna vertebral, ficado inteligente e se tornado homem de maneira natural. Atualmente o Darwinismo também tem sido chamado de "teoria da origem inferior das espécies". A antítese ao "evolucionismo" de Darwiné a "teoria da origem superior das espécies", uma variação da teoria criacionista, baseada nas descobertas de fósseis humanos descomunais e ruínas de construções megalíticas, encontrados em várias partes do mundo.
    1. O passado e o presente
O pesquisador suíço Erich Von Dänikenfoi um dos primeiros defensores modernos, da teoria da origem superior. Tendo viajado meio mundo e dedicado boa parte de sua vida ao estudo das civilizações antigas, como os sumérios, babilônios, hindus, incas, maias e astecas, Dänikené pioneiro na abordagem técnica sobre a influência de seres extraterrestres no desenvolvimento da vida na Terra. À despeito de inúmeras difamações e ataques sofridos, escreveu diversos livros, entre os quais o clássico "Eram os Deuses Astronautas3?", enfatizando sistematicamente que as mutações fisiológicas, além do fator "inteligência", foram introduzidos no hominídeo ancestral, via engenharia genética, resultando no homo-sapiens.
E todo o processo civilizatório foi igualmente, introduzido pelos mesmos seres, supostamente superiores, gradativamente. Däniken, através de seminários e palestras, foi o primeiro pesquisador a confrontar o sistema e expor publicamente essa linha de pensamento. Seus trabalhos, muito ricos em detalhes, são referências obrigatórias para quem estuda esse assunto, sendo, inclusive mencionados por Sitchin.
  1. A VERDADE
Segundo os sumérios, essa raça de extraterrestres eram os Anunnaki (Os Do Céu Que estão Na Terra), que mais tarde foram chamados de Elohim(Senhores do Céu). Humanóides gigantes vindos do planeta Nibirue que devido à problemas no seu ecossistema, decidiram iniciar um processo de colonização no nosso planeta, por volta de 450 mil anos atrás. A primeira expedição Anunnaki, liderada pelo mega-cientista ENKI (Senhor da Terra), aterrissou na região do Golfo Pérsico, onde estabeleceu a primeira base de operações: ERIDU (Lar Longínquo Construído).
3.1. A missão dos Anunnaki
O plano original era extrair ouro do mar4, o que de fato foi feito, mas à medida que esse processo foi ficando inviável, a única alternativa foi extrair o minério do sudeste da África, que já havia sido explorada por ENKI. Sem perda de tempo ele partiu para o continente africano, com uma equipe e ergueu o complexo ABZU. O ouro obtido nas minas da região iria ser transportado em embarcações até a Mesopotâmia, para derretimento e refinamento. Em seguida os lingotes eram enviados, através de uma nave de carga até outra nave que ficava na orbitando da Terra, aguardando a chegada periódica de uma nave-mãe que levava o precioso metal para Nibiru, para ser usado como partículas suspensas, na atmosfera, a fim de conter o avanço de um fenômeno semelhante ao efeito estufa.
A ampliação das atividades de mineração trouxe uma segunda expedição liderada pelo comandante ENLIL(Senhordo Comando), meio-irmão de ENKIe logo os Anunnaki ergueram um gigantesco complexo logístico nas imediações do Monte Ararat. ENKI e ENLILeram filhos do governante de Nibiru, ANU (Senhor das Alturas)e rivais, devido ao fato de que, mesmo sendo primogênito, ENKInão era o primeiro na linha de sucessão do trono nibiruano, mas sim ENLIL.
Posteriormente uma terceira missão foi enviada, liderada pela médica-geneticista NINTI (Senhora da Vida), meia-irmã dos dois líderes, acirrando a disputa entre eles. Contudo, ao longo do trabalho dos Anunnaki, que já eram aproximadamente 600 na Terra, além de mais 300 em órbita, umas séries de conflitos culminaram em um motim, durante uma inspeção de rotina, nas minas africanas. Os Anunnaki, astronautas e cientistas, improvisados como operários mineradores, reclamavam das tarefas designadas. Pressionado, ENLILinformou a ANUsobre a revolta e se dispôs à abandonar o comando da missão e retornar ao seu planeta.
Uma corte marcial foi instaurada e ANU, tendo vindo à Terra, exigia que os líderes do motim se revelassem. Ouvindo os depoimentos, ANUconcluiu que o trabalho era realmente muito duro e as reivindicações dos Anunnaki eram justas. Mas como interromper a mineração do ouro? O equilíbrio do ecossistema de Nibiru dependia do metal. ENKI, imediatamente ofereceu uma solução genial.
Esta descoberta também atraiu outras raças como os "Saurians", ou como são chamados... Os Reptóides. Os Agharianos ou Nórdicos, por causa da sua aparência Humana, E os "Greys" de "Zeta Reticula" que também vieram á procura do Ouro Monoatômico. Isto envolveu um esforço enorme, porque teria de ser extraído da água do mar. Ou processá-lo de uma determinada forma, que o ouro geralmente em pares de oito átomos por molécula, pudesse ser deparado em moléculas individuais.Desta forma, os elementos mono-atômicos eram separados dos seus "primos" multi-atômicos. Desta mesma forma que o "Urânio 235" é produzido.

3.2.A solução da rebelião

Diante deste problema com a mão de obra ENKI, informou que no sudeste africano, vagava um ser que poderia ser treinado para executar o trabalho de mineração e desde que a "marca dos Anunnaki" (DNA)pudesse ser colocada nele.
Disse ENKI: "É possível libertar os Anunnaki dessa servidão terrível tendo mais alguém para fazer o trabalho pesado: Vamos criar uns Trabalhadores!"
A um texto sumeriano e imortalizado a resposta de Enki aos Anunnaki reunidos, que viam na criação de Adamu a solução para seu trabalho insuportável.
-- A criatura cujo vocês preferiram; ELA EXISTE!
ENKIse referia à uma espécie de hominídeo que tinha evoluído naturalmente na Terra, mas que ainda estava num nível evolucionário extremamente distante do atingido pelos habitantes de Nibiru,não obstante ENKI sabia que esse primata, assim como todos os seres da Terra, possuíam material genético compatível com os de Nibiru, porque aqui a vida teria se iniciado com esporos orgânicos trazidos de lá, após a colisão com Tiamat. Esse tipo de fenômeno, denominado de Panspermia Cósmica, segundo cientistas de vanguarda, é comum nas galáxias, podendo ocorrer de forma acidental ou dirigida, como fizeram os Anunnaki.
A idéia de cria trabalhador agradou à assembléia dos Anunnaki. Quanto mais discutiam, mais  aumentava o clamor por esse Trabalhador Primitivo, um Adamu para se  encarregar do trabalho pesado. Mas ficaram imaginando como ele poderia  criar um ser com inteligência suficiente para usar ferramentas e obedecer  às ordens. Como conseguiria criar, "produzir", o Trabalhador. A tarefa era possível, realmente?

3.3. E fez Deus o homem a sua imagem....

Nessas palavras está a chave do enigma da criação do Homem, o condão  mágico que remove o conflito entre as duas maiores corrente o evolucionismo e o criacionismo. Os Anunnaki, ou os Elohim dos versos bíblicos, não criaram o homem do nada. O ser já existia ali na Terra, o produto da evolução daquele  estágio. Era necessário apenas, para elevá-lo ao nível necessário de  habilidade e inteligência aproximá-lo da "imagem dos deuses", a dos próprios  Elohim.
O ser que existia Homem-Macaco e Mulher-Macaco. O processo imaginado por Enki era "ligar", na criatura  existente, a "imagem" a feição genética interna dos Anunnaki; em  outras palavras, desenvolver o Homem-Macaco pela manipulação genética e  dar um salto na Evolução criando o "Homem" Homo sapiens. O termo Adamu, que evidentemente inspirou o nome do Adão bíblico,  significa "imagem" no texto sumério e é repetido intacto no texto bíblico,  não sendo apenas um indício da origem sumério-mesopotâmica da história  do Gênesis sobre a criação do Homem. O plural bíblico e a descrição de  um grupo de Elohim chegando a um consenso seguido da ação necessária também perde o aspecto enigmático se levarmos em conta as fontes  mesopotâmicas.
Netas fontes podem ser ler que os Anunnaki reunidos resolveram executar o projeto  e Enki sugeriu que encarregassem á médica-geneticista NINTI dessa tarefa, porque era a  médica oficial. Ela convocara e pedira à deusa, à parteira dos deuses, à sábia doadora da vida, [dizendo;]
"Dê vida a um ser, crie trabalhadores! Crie um trabalhador primitivo para que ele possa suportar o jugo! Que ele carregue o jugo imposto por Enlil, que o Trabalhador suporte a fadiga dos deuses!"

Continue lendo em: http://osanunnakis.blogspot.com.br/2015/02/origem-da-raca-humana-pelos-anunnakis.html


0 comentários:

Não deixe de ler

Veja também

Ocorreu um erro neste gadget

Visitantes recentes